sábado, 26 de outubro de 2013

Governo recepciona escritores que participarão da Feira do Livro do Amapá 2013

Por Liliam Monteiro
Foto: Agência Amapá

Os escritores amapaenses e de outros estados brasileiros que participarão da 2ª edição da Feira do Livro do Amapá (Flap) receberam as boas-vindas do Governo do Estado na noite desta sexta-feira, 25, na Oficina da Pizza, no bairro Santa Rita.
Com o tema "Leitura e Sustentabilidade", a Flap inicia neste sábado, 26. O evento durará sete dias e contará com um programação extensa de vendas, exposições, lançamento de livros, apresentações teatrais, poéticas, palestras e mesas de debates. Sendo uma iniciativa do governo estadual, a Feira do Livro pretende criar e incentivar o hábito da leitura e ainda fomentar o setor livreiro da região.
A secretária de Inclusão e Mobilização Social, Cláudia Camargo Capiberibe, foi cumprimentar os artistas e afirmou que é fundamental ter a população mais próxima do livro e da literatura.
"A leitura abre diversas portas como a escrita e um vocabulário mais rico, são muitos ganhos para a nossa população. Além disso, a participação dos escritores do Amapá e de autores de outros estados possibilita uma troca de experiência riquíssima", sublinhou a secretária.
Durante a recepção, diversas poesias foram declamadas. A presidente-executiva do Comitê Flap, Carla Nobre, falou da sua esperança para a Feira.
"Nossa expectativa é das melhores, pois a Flap está apenas no seu segundo ano, mas vem marcando uma posição importante na cultura do Amapá. Por determinação do governador Camilo Capiberibe, essa política do livro e da leitura virou lei, é um evento anual, ninguém mais poderá extinguir. Neste ano nós vamos publicar doze autores amapaenses contemplados pelo edital de criação literária Simãozinho Sonhador, tudo foi pensado e organizado pelo Governo do Estado", enfatizou.
A escritora amapaense Maria Ester vive a emoção de ter a sua obra publicada. "Realmente é muito emocionante ter um trabalho reconhecido e divulgado. O governo está plantando sementes e, com certeza, elas se espalharão e crescerão cada vez mais. A maior contemplada é sociedade, que poderá ter contato com a literatura de perto", pontuou.
Para o coordenador da Festa Literária Internacional em Paraty – Off Flip, Ovidio Poli Júnior, a Flap é um evento que, desde a sua primeira edição, já nasceu forte.
"Eu costumo ir a diversos circuitos literários de todos os estados do Brasil, porém, aqui no Amapá, essa festa literária começou forte desde a sua primeira edição e este ano mais ainda, pois a programação está bem diversificada sobre cultura, arte, ciência. Então, a Flap está tomando uma envergadura de um polo de discussão cultural, científica, literária, histórica, que recebe autores de outros estados e, o mais importante, a Feira do Livro não copia nenhum modelo de de outros lugares. Estão fazendo uma festa com a cara da cultura local e o governo vem apoiando muito fortemente o edital de criação literária. Viemos contribuir e também aprender", ratificou.